Arquivo do Blog

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Carta 5 de copas e auto-enganação

Eu já havia antes falado a respeito da carta 5 de copas, sobre a desilusão e hoje venho aqui falar sobre os relacionamentos que chegam ao fim, pois durante a consulta com meus clientes, tenho percebido o quanto o tema amoroso importa e tem seu peso e medida.

A gente sabe que tudo na vida passa por um ciclo, começo, meio e fim e o término é geralmente desgastante, entristecedor, porém, necessário!

Hoje eu quero falar principalmente a respeito de relacionamentos em que as pessoas abandonadas acreditam que foram pegas de surpresa, pois não esperavam de forma alguma que o(a) parceiro(a) fosse capaz de terminar a relação.  O que ocorre na verdade, na grande maioria dos casos, é que nada foi de surpresa, a pessoa já vinha dando sinais de que não estava feliz, já vinha demonstrando por meio de atitudes, gestos ou palavras sua insatisfação, para ela o aviso estava dado, já havia disparado o alarme e acreditava que o sinal vermelho estava piscando diante dos olhos do outro, só que o outro é que não queria enxergar, preferia fechar os olhos, pensar que aquilo era de brincadeira e assim se aliviava de qualquer esforço que precisasse fazer para mudar a situação - sim, tem gente que gosta de se fazer de cega. Contudo, esse comportamento, muita vezes é inconsciente, ou seja, a pessoa age por impulso e ñao se dá conta da realidade, porém, ainda de forma inconciente, os sentimentos como medo, aflição, dúvidas, desconfianças, ficam registrados e tendem a se manifestar durante os sonhos, é quando um ou outro começa a sonhar que seu(sua) parceiro(a) morre, vai embora,  abandona, trai  ou age de forma indiferente fazendo com que aquele sentimento que foi reprimido, venha à tona, tentando trazer à consciência a realidade que está agindo na vida daquela pessoa. Mesmo quando não queremos enxergar, o inconciente trabalha para que nos demos conta da verdade, mas então a pessoa acorda do sonho com aquela sensação triste, com maus pressentimentos e depois esquece de tudo, não dá importância... e quando a situação do fim se apresenta, a pessoa se assusta dizendo que foi de repente, porém se analisar bem fundo, lá no coração, vai se dar conta de que, de alguma forma, já sentia que aquilo podia acontecer.

Insisto em dizer que nada acontece no mundo ao acaso, todas as coisas precisam de um movimento para acontecer e esse movimento promove ações e reações, visíveis e perceptíveis.

Quando mantemos nossas mentes abertas e conseguimos nos envolver com alguém de forma clara, transparente, ouvindo e falando a respeito dos sentimentos, quando esse espaço existe, as chances de sentir-se pego de surpresa, são bem menores. Não adianta fugir das situações de enfrentamento, não resolve esconder os problemas por trás de uma cortina cor-de-rosa, uma hora ou outra, a quinquilaria acumulada vai desabar e então dizer que nem imaginava que aquilo tudo estava ali seria mais uma desculpa do que uma justificativa, pois quem guardou e escondeu tantas evidências foi apenas você.

É preciso não fugir da responsabilidade e assumir que muitas vezes não se importou com as queixas, que fez vistas grossas por conveniência de não querer mudar, que preferiu acreditar que as sensaçoes que tinha eram besteiras, melhor ser verdadeiro e honesto consigo mesmo do que continuar acreditando que você não entendeu os sinais.



Drika Gomes
Taróloga e Numeróloga

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário