Arquivo do Blog

domingo, 17 de abril de 2016

Superando amores que chegaram ao fim

Acredito que na vida tudo passa por um ciclo natural; o nascer, o crescer, o florescer, o murchar e o morrer. Com os relacionamentos o mesmo acontece, a gente passa a vida buscando um grande amor e até que ele chegue passamos por vários relacionamentos que tem seu início, meio e fim, uns finais podem ser mais suaves, outros mais turbulentos, mas de qualquer forma o final surge dando a você um cheque-mate, mostrando a você que é hora de encarar a situação e seguir adiante.

Claro que a gente sempre espera que um término seja tranquilo e melhor ainda se for sem dor, mas penso que apenas não existirá dor se não houver mais sentimento algum, coisa muito difícil porque sempre um sentimento resta, mesmo que não seja mais o amor, porém em seu lugar ficam as mágoas, raiva, decepções... Não tem jeito, alguma dor vai aparecer, talvez mais da parte de um do que do outro, mas é certo que ambos sofrem. Já que a dor vai existir de qualquer forma, então a única opção que resta é lidar com ela e neste quesito cada um tem seu modo, sua intensidade e seu tempo. Uns nutrem a dor e se alimentam dela, carregam por um longo tempo as mágoas, remoem acontecimentos passados, guardam fotos, relembram e não se desapegam facilmente, outros sofrem de uma vez só tudo que tiverem que sofrer, choram o que tiverem que chorar, passam por um breve período de luto, mas um luto intenso onde promovem uma limpeza e tanto na alma e depois disso, respiram fundo, olham para frente e pensam " Vambora! Tô pronta(o) pra vida!" Confesso que me enquadro neste segundo tipo e adoro ser assim porque não perco tempo sofrendo a toa, jogo o passado para trás, me liberto das bagagens e sigo adiante...

Volto aqui a ressaltar a mensagem da carta da morte no tarô, quando ela chega numa consulta sobre a vida afetiva, vem trazendo a consciência do final de ciclo, é preciso deixar terminar, é preciso deixar morrer, pois faz parte do ciclo natural de todas as coisas. A grande lição é encarar um fim como uma nova chance de recomeçar, não no mesmo relacionamento, mas recomeçar algo novo, com novas energias, com outras cores e nova luz!

Quase sempre os finais de relacionamentos são desgastantes e tristes,  na maioria das vezes já houveram diversas tentativas de consertos, juntando-se os cacos da relação que tantas vezes se partiu, muito esforço já foi colocado e então chega aquele momento em que se sente que não dá mais, nada mais cola, cada pedaço que tentou colar já não gruda mais e cai constantemente. Quando esse momento aparece é obvio que chegou o fim e para quê ficar juntando os pedacinhos de um amor que se acabou? Nada vai colar.

Pessoal, a vida é supreendente! Insisto sempre em dizer para se desapegarem do velho, de tudo que já passou porque tem tanta vida te esperando lá na frente... Tem tanta coisa boa que está esperando por você e apenas não acontece porque você se deixou aprisionar com esse peso todo do passado que não quer largar. Largue! Solte! Fique leve e siga em frente! Você vai ver que é possível alcançar a felicidade.



Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.
"Vinícius de Moraes"




Drika Gomes
Taróloga e numeróloga 

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário