Arquivo do Blog

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Será que você é capaz de viver um grande amor?

Muitos acreditam que viver uma história bonita e feliz de amor é para qualquer um, que todos nós podemos e merecemos ser feliz no amor. Acredito que os relacionamentos são como os vinhos, precisam maturar, é preciso tempo para garantir a ele o sabor, o aroma que o tornam tão especiais.

Portanto, com certeza é possível para qualquer pessoa viver um grande amor, desde que essa pessoa se abra, cresça, permita-se aprender com todas as dificuldades, desafios e momentos de realização no decorrer da vida. Para que um amor possa ser vivido com intensidade e harmonia as pessoas envolvidas precisam estar dispostas a acreditar no amor e isso abrange uma série de coisas na vida de um casal: medos, traumas, resistências, apegos. Acho mesmo que ninguém consegue entrar num relacionamento sem sentir ao menos uma pontinha de medo, o friozinho na barriga que dá quando pensa que pode se envolver demais, pode gostar demais, ter expectativas demais, enquanto o outro é um universo totalmente desconhecido. No começo da relação esse medo é até muito natural, mas passa a ser um enorme bloqueio, um muro de concreto entre os dois se permanecer por muito tempo, criando afastamentos e inseguranças que podem destruir esse amor.

A capacidade de amar está em todos nós, mas amar requer desprendimento de nossas amarras, requer uma disposição quase que poética de pensarmos no amor como um complemento de nosso estado de felicidade, requer de nós um salto no escuro e a fé de que tudo pode valer a pena.

Não dá para amar parando em cada curva de suspiros que sentir ser perigosa nem subindo a montanha com o peso de tantos medos nas costas. A gente só consegue essa coragem e força quando se despe de todo passado e então se permite viver algo novo de verdade.

Para um grande amor acontecer, primeiramente, você tem que querer ser livre!

As experiências da vida vão nos ensinando a sermos menos exigentes, mais pacientes, mais tolerantes, a darmos mais valor às coisas simples, a apreciarmos os pequenos detalhes e a não darmos tanta importância a coisas que podem ser resolvidas facilmente.

Um grande amor precisa de palavras, olhares, gestos, cheiros... E tudo isso precisa de tempo, dedicação e comprometimento. A confiança, nasce desse conjunto.

Um grande amor é como uma viagem longa por uma estrada desconhecida, tudo que sabemos é que queremos chegar lá, mas será que todos estamos prontos para essa viagem?


Drika Gomes
Taróloga e terapeuta



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário